Em nova investigação, delegada Maria Selma é acusa de permitir que ‘estranho’ participasse de operação

Maria Selma
Delegada Maria Selma é investigada por mais uma acusação (Imagem: Reprodução / SSP-BA)

A delegada Maria Selma Pereira Lima está sendo investigada por permitir que uma pessoa “estranha aos quadros” da Polícia Civil atuasse em uma operação no bairro da Pituba, que aconteceu em abril de 2018. A decisão foi publicada no Diário Oficial e assinada pela delegada-geral da Polícia Civil, Heloísa Campos de Brito.

De acordo com a portaria, na ocasião o estranho estava com uma arma longa, tipo submetralhadora, de uso restrito.  A delegada-geral destaca que, se comprovadas, essas condutas configuram infrações disciplinares previstas pela legislação e a Maria Selma pode até ser demitida do cargo, como determina a lei estadual 6.677/1994.

As infrações investigadas incluem cometer pessoa estranha à repartição, fora dos casos previstos em lei; valer-se do cargo para lograr proveito pessoal ou de outrem; praticar ato definido como infração penal que, por sua natureza e configuração, torne-o incompatível para o exercício da função policial e utilizar pessoal ou recursos materiais da repartição em serviços ou atividades particulares.

Cabe lembrar que ela já está afastada das funções por 1 anos, após decisão tomada em julho pela Justiça, por suspeita de envolvimento em uma quadrilha responsável por roubar e clonar veículos na Bahia. A denúncia sobre o caso foi encaminhada pelo Ministério Público da Bahia (MP-BA) em agosto.

0 0 votos
Article Rating
Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários